Estudando Oportunidades Para Novos Shopping Centers

A seleção de municípios e ou pontos para instalação de um shopping center demanda a análise de vários fatores que influenciarão na sua performance futura, alguns objetivos como potencial de consumo, renda, população e oferta instalada; e alguns menos objetivos como a cultura local e os hábitos de consumo. Esses fatores subjetivos necessitam sempre da observação e de um estudo local do comportamento do consumidor. Já os fatores objetivos podem ser mais facilmente estudados pela análise de seus índices.

Para esses estudos, além do ranqueamento das cidades pelo índice de potencial para novos shoppings e ou pelo índice de eficiência dos shoppings instalados, cabe sempre a análise de outros índices importantes:

  • População e taxa de crescimento são fundamentais na análise. Populações menores indicam hábitos de consumo comumente menos voltados a shopping centers, e são evitadas pelos grandes operadores de varejo. Taxas de crescimento reduzidas indicam que o tempo de maturação do shopping poderá ser maior que o esperado, e o que é muito relevante, podem indicar que a cidade está passando por um período de êxodo, devendo ser evitada.
  • Os potenciais de consumo para shopping centers Total, por ABL e por Habitante podem ser analisados de diferentes formas. O potencial de consumo total indica a capacidade da população para consumir os produtos e serviços comumente mais comercializados em shopping centers. O potencial por habitante indica a capacidade per capita de consumo que deve ser analisado para cada categoria de produtos, propiciando ao analista entender qual a tendência de seu mix. Já o potencial por ABL considera a concorrência permitindo a análise de saturação do mercado. Nos três casos, quanto maior, melhor.
  • Renda média familiar e classificações A+B e A+B+C, a renda média familiar e a classificação social por grupos indicam o perfil do empreendimento a ser desenvolvido com diferentes aspectos. Quanto maior a renda média familiar e a classificação A+B, maior deve ser a qualificação do mix de produtos, para atender um padrão de consumo mais elevado. Quanto maior a classificação A+B+C, maior a fatia da população propensa a consumir no futuro shopping. Na análise apresentada, Anápolis por exemplo tem maior propensão a um mix qualificado que Aparecida de Goiânia, porém com uma parcela menor de população com propensão a consumir em shopping.
  • A análise de veículos por habitante também é um fator comumente utilizado para indicar qualificação de mix de produtos. Quanto mais automóveis por habitante, mais refinados os hábitos de consumo. Vale lembrar também que será necessário prever maior capacidade de estacionamento de veículos no empreendimento.

Obviamente que além da análise dos indicadores, cabe a análise estratégica e comercial para a definição do ponto, considerando a intenção dos grandes operadores de varejo se instalarem nos pontos escolhidos e a disponibilidade de operadores locais para as lojas menores.

Escolhidos alguns pontos, a informação gráfica do mapa de mercado permitirá ao analista uma visão e comparação dos principais índices para sua tomada de decisão.

Faça um teste, clique aqui e acesse o GuruMarket.